domingo, 28 de setembro de 2014

Pela Participação na Política






Pela Participação na Política

  Mais um ano de eleições, e fico espantado em verificar que a maioria do povo brasileiro continua apática e desinteressada pelo processo eleitoral. Noto que muitos decidiram não mais participar do processo, simplesmente deixaram de votar, alegando que de nada adianta e que não há jeito de o Brasil mudar.

  Também já pensei assim, até poucos anos atrás. Até que um dia refleti e descobri que eu sou parte importante nesse processo. Creio que o que realmente de nada adianta é apenas reclamarmos dos governos, consolados pelo fato de que não fomos responsáveis pela sua eleição.

  Creio que de nada adianta ficarmos apenas falando mal, acusando políticos de corrupção e nos mantermos de fora da política. É como se estivéssemos atirando pedrinhas em uma fortaleza, na qual estão encastelados os corruptos e aproveitadores do dinheiro público.

  Entendi que há dois caminhos que podem ser tomados. O primeiro, é o que muitos escolheram, reclamar, falar mal e se manter de fora. O segundo, é o do engajamento, o do sacrifício, o da participação ativa visando uma mudança significativa na qualidade dos eleitos.

  Optei  pelo segundo caminho, deixei de reclamar apenas, estudei, aprendi, conversei e hoje estou colaborando para a eleição de alguém que conheço e sei da sua honestidade, da sua ética e da disposição de trabalhar por um país melhor.

  Já me perguntaram quanto eu estou recebendo por isso. Não estou ! Temos que deixar de ver a política apenas como uma forma de se ganhar dinheiro, licitamente ou não. Aliás, experimente participar da campanha de alguém (ético). Ao final, responda a essa pergunta: quem são mais corruptos, eleitores ou políticos?

  Candidatos em campanha são diariamente assediados por pessoas de todos os níveis sociais que pedem uma série de coisas, algumas até mesmo absurdas. Outras, em troca de polpudos pagamentos, oferecem centenas, milhares de votos ao candidato, se dizendo liderança reconhecida em uma comunidade, bairro, região.

  Nos últimos meses, já fui procurado por eleitores que me pediram empregos, dentaduras, cestas básicas, remédios, trios elétricos, um milhão de reais, dinheiro para adquirir bens diversos, carros, materiais de construção, cirurgias plásticas e por aí vai.



  Política no Brasil tem que deixar de ser apenas um negócio rentável e se transformar em serviço para a população, e isso somente acontecerá quando os eleitores participarem ativamente das eleições, votando conscientemente e em candidatos que realmente possam trabalhar com honestidade pelo povo.

  São muitos os problemas que assolam a nossa gente, e muitos já poderiam estar resolvidos há anos, acreditem. Não o são porque se tornaram moeda de promessas eleitorais, que nunca serão cumpridas.

  Também me preocupo quando ouço que política não é coisa para pessoas de bem. Exatamente por causa desse pensamento é que muitos acabam ingressando nela, se aproveitando da ausência dos homens corretos e instalando a corrupção e a roubalheira no poder.

  Pare, pense, reflita. O regime democrático pressupõe a participação de todos.

  Pesquise, pergunte, participe, ajude a formar um país melhor no futuro.

  E vote certo!

Fernando Marin