quarta-feira, 27 de dezembro de 2017

Ano Novo, Vida Idem



Ano Novo, Vida Idem


Por: Fernando Marin



 Mal terminam as celebrações natalinas, geralmente abundantemente acompanhadas por alimentos nem sempre saudáveis, e ainda receosos de passarmos perto de uma balança, já chegam as festas de ano novo, o chamado réveillon, quando também costumamos comemorar em meio a banquetes e muita alegria, afinal temos que agradecer a Deus por Ele ter nos permitido mais um ano de vida e oramos pedindo um novo ano de bênçãos em todos os aspectos de nossas vidas.

 Nessa época é comum ouvirmos aquelas promessas de mudanças e planos efetuados para o novo tempo chamado ano, mesmo que não tenhamos cumprido as promessas no que ora se encerra.

 A mudança de calendário nos dá a impressão de final de uma era e de início de uma outra, onde tudo se renova ou se inicia. Na verdade é apenas um pulo na folhinha, mudanças ou novos planos devem partir de nossos corações, sintonizados com Deus – a quem devemos submeter tudo aquilo o que almejamos, afinal, é Ele quem os tornará realidade ou não.

 Creio que sonhar faz parte da nossa existência, e sonhos  são naturais e normais a todas as pessoas, quem não sonha com uma vida melhor, uma nova casa, uma viagem?

 Muitas vezes Deus nos dá a oportunidade de realizarmos nossos planos e sonhos, outras vezes Ele não os permite. E aí é importante sabermos que nem tudo o que pensamos ser bom para nós na realidade o seria. Sempre digo da importância de sermos humildes perante o Senhor e de esperarmos com paciência que o momento ideal chegue ou que entendamos quando Ele diz não.

 Creio que a Bíblia nos deixa uma boa pista para que nada nos falte em época alguma, basta lermos em Mateus 6, versículo 31 a 33, onde o texto nos diz: “Portanto, não fiquem preocupados, perguntando: “Onde é que vamos arranjar comida?” ou “Onde é que vamos arranjar bebida?” ou “Onde é que vamos arranjar roupas?” Pois os pagãos é que estão sempre procurando essas coisas. O Pai de vocês, que está no céu, sabe que vocês precisam de tudo isso. Portanto, ponham em primeiro lugar na sua vida o Reino de Deus e aquilo que Deus quer, e ele lhes dará todas essas coisas. Por isso, não fiquem preocupados com o dia de amanhã, pois o dia de amanhã trará as suas próprias preocupações. Para cada dia bastam as suas próprias dificuldades.”

 Aqui, a Palavra nos ensina a não nos preocuparmos com as nossas necessidades básicas, elas serão providas por Deus, desde que estejamos sempre no centro de Sua vontade. Quanto aos demais bens materiais, o nosso trabalho honesto , abençoado por Ele, nos dará condições de adquirir.

 Para termos um bom ano novo devemos tomar atitudes positivas e de fé, tais como agradecermos pelo nosso trabalho, por nossa saúde, família, pelas pessoas que Deus coloca próximo a nós , pela vida!

 São essas atitudes de gratidão e de paz que nos levarão a uma vida de sucesso.

 Nossas realizações pessoais não se encontram apenas nos bens que obtemos, mas sim na paz com que vivemos!

 Entremos em 2018 com esse pensamento.

 Feliz 2018!


Fernando Marin

sexta-feira, 22 de dezembro de 2017

Tempo de Natal



Tempo de Natal


Por: Fernando Marin



  Sei lá, parece que de uns anos para cá o tempo passa mais rápido, chegou o Natal. E com ele, aquela correria toda que já é rotina para todos. Lojas cheias, festas de confraternização, cozinhas a todo vapor, afinal é Natal!

  Refletindo sobre a época e o fato, me peguei escolhendo os presentes que gostaria de ganhar. Enquanto muitos sonham com smartphones, roupas e outros objetos caros eu ficaria feliz se pudesse haver mais amor entre as pessoas.

  Havendo mais amor, não haveriam mais crimes, e nem guerras. Havendo mais amor não haveriam mais refugiados, e nem a fome.

  Havendo mais amor, não se roubaria dinheiro público, e haveria bom atendimento de saúde para todos, melhores escolas, nossas cidades teriam mais qualidade de vida.
Amor, é o que falta nesse mundo.

  Esse amor que tanto nos faz falta até surge em iniciativas isoladas na época do Natal, mas normalmente só dura por essa época mesmo.

  E aí devemos nos lembrar de quem foi enviado a esse mundo por amor a nós. Nasceu, cresceu e foi crucificado e assassinado para que nós todos hoje pudéssemos ter a vida eterna. Época de lembrarmos de Jesus Cristo, Filho de Deus, enviado à terra para padecer pelos nossos pecados.

  Esse é o real sentido do Natal, relembrarmos desse sacrifício em nome do amor, amor imerecido, mas amor de Pai.

  Que em todos os lares as famílias se reúnam para celebrar essa tão importante data. Não importa se Ele nasceu em 25 de dezembro ou não. O que importa é celebrarmos o fato: Ele nasceu!

Feliz Natal!


Fernando Marin