domingo, 27 de dezembro de 2015

Palavra de fé para o ano novo.



Palavra de fé para o ano novo




Por: Fernando Marin






 Fim de ano e as mensagens para o que se inicia estão chegando, todas esperançosas de tempos melhores e de realizações que não puderam se concretizar no ano que ora finda.

 2015 foi mesmo um ano difícil, para todos. Uma crise econômica inesperada pela população pegou a muitos desprevenidos e os estragos foram grandes. Desemprego, inflação alta, queda nos negócios, um ano para ser mesmo esquecido.

 Alguns vêm o novo ano com desconfiança, outros com medo, poucos esperam mudanças positivas, e por isso estão cautelosos. Na verdade, espero que o novo ano se inicie com muitas dificuldades, porém vejo uma luz no fim do túnel já no último bimestre – numa perspectiva otimista.

 Vejo as pessoas abatidas, e nesse momento é que devemos fortalecer nossa fé e esperança em tempos melhores.

 Tudo isso me lembra do texto bíblico em Josué 1.

 Moisés, que liderava a caminhada do povo hebreu com destino à terra prometida, havia morrido. Deus levantou Josué como o novo líder e o encarregou de conquistar a terra. Isso demandava muitas lutas, guerras e enfrentar o desconhecido.

 Muitos de nós se sentem assim em relação ao ano de 2016, enfrentando o desconhecido. O que virá pela frente?

 Mas, Deus diz a Josué: "Seja forte e muito corajoso. Tome cuidado e viva de acordo com toda a Lei que meu servo Moisés lhe deu. Não se desvie dela em nada e você terá sucesso em qualquer lugar para onde for. " (Josué 1.7) .

 Seja forte e corajoso! E, principalmente, siga sempre a Palavra do Senhor! Viva dessa maneira, e você com certeza vencerá todas as batalhas!

 Creio que essa é a palavra de ordem para o ano novo: coragem ! Enfrentemos a crise com coragem, fé e disposição, afinal sabemos que Deus está conosco, assim como esteve com Josué naquele momento.

 Deixo para todos um versículo apenas da Bíblia, uma palavra de encorajamento para que possamos passar pelas dificuldades que surjirem com determinação, para que recebamos a força que necessitamos para enfrentar as lutas que virão com a certeza de que não estamos sós!

 "Lembre da minha ordem: Seja forte e corajoso! Não fique desanimado, nem tenha medo, porque eu, seu Deus, estarei com você em qualquer lugar para onde você for!"  ( Josué 1.9 NTLH).

Feliz Ano Novo ! Com fé e coragem!

Fernando Marin


sexta-feira, 11 de dezembro de 2015

A Igreja e o Estado




 Um texto para a reflexão de todos, afinal, Estado e Igreja devem caminhar juntos?

 Aqui, meu amigo Leonardo Stuepp dá a sua opinião. Leonardo é professor, escritor, pensador católico, participa ativamente da vida na sua comunidade de fé em Blumenau, Santa Catarina e é conhecedor de todos os documentos e rotinas que norteiam a Igreja Católica Romana.

 Em um momento em que vivenciamos movimentos sociais que visam a implantarem novas modalidades de pensamentos sobre opção sexual, diversidade familiar, como deverá acontecer a ação da igreja ?

 Tenho analisado a atuação do papa Francisco e noto que ele se coloca como pastor, muito mais do que como Chefe de Estado.

 Qual deve ser o verdadeiro papel da igreja no mundo atual?



A Igreja e o Estado. O fim do Estado do Vaticano como necessário para a sobrevivência da Igreja Católica. Uma reflexão para o futuro.


Por: Leonardo Stuepp



 Algo está me atormentando a tempos quanto aos rumos da minha amada Igreja Católica Apostólica Romana.

  De seu início lá na Igreja Primitiva, onde, com os encontros e o sangue de milhares de mártires foi se construindo historicamente, com a complementação dos Evangelhos e de todo o Novo Testamento, com os escritos dos Padres e Doutores da Igreja, chegando a tornar-se a religião oficial de um Império, quando assume um papel quem sabe até necessário no contexto histórico, que muito colaborou para o bem das populações, mas ao mesmo tempo, muito colaborou para um lado obscuro, sendo participante e até conivente com muitas barbáries praticadas em nome de Deus.

 Foi poderosa, onde seu Chefe o Papa teve um poder temporal impensável nos dias de hoje.

  Com o caminhar lento e gradual da História, a Igreja aos poucos foi se distanciando do Estado, mas nem sempre o Estado da Igreja. Chegamos ao nosso tempo em que a maioria dos estados ocidentais se declaram laicos e, uma diversificação inumerável de denominações cristãs fazem com que a importância católica no mundo se torna bem menor.

  Nesse nosso mundo instantâneo, onde as comunicações são imediatas, onde as palavras e imagens circulam à velocidade da luz, a pessoa do Papa em suas duas figuras, a de Chefe da Igreja e de Chefe de Estado, não têm mais um sentido verdadeiro ( causando grandes confusões nas declarações do Papa em solenidades oficiais perante Chefes de Estado) considerando-se o fim a que a Igreja existe, ou seja sua missão, que é de evangelizar.

 Penso que falta ainda mais um passo para a Igreja voltar a ser novamente a Barca de Pedro: acabar com o Estado do Vaticano. O Papa tornar-se tão e simplesmente o Pastor da Igreja, sem vínculo algum com um Estado.

 Leonardo Stuepp