domingo, 18 de agosto de 2013

Enfrentando os nossos gigantes



Enfrentando os nossos gigantes


Por: Fernando Marin


   Vivemos em uma sociedade tecnológica, bem diferente de tempos atrás, com novos desafios e necessidades, onde o homem sente-se cada vez mais dependente da tecnologia e de si mesmo. Não é raro encontrarmos pessoas que sentem-se capazes de resolver e enfrentar uma série de desafios contando apenas com elas próprias , pessoas que não colocam suas vidas na dependência do Senhor para que possam atingir os seus objetivos e metas ou para superarem as dificuldades que a vida nos apresenta. Parece que se esquecem dos ensinamentos de Jesus no chamado Sermão do Monte (Mateus 5), onde no versículo 3 diz o Mestre que "Felizes são os que sabem que são espiritualmente pobres pois o Reino dos Céus é delas." (NTLH).

 De acordo com Jesus, é necessário que sejamos humildes ao ponto de reconhecermos, com a nossa pobreza espiritual, que dependemos de Deus para todas as coisas e se esquecermos disso não herdaremos o Reino dos Céus, ou seja, a falta dessa humildade, a falta de entrega do controle de nossas vidas a Jesus, do reconhecimento Dele como nosso senhor e salvador não nos dá o direito à vida eterna e à salvação de nossas almas.

   Na Bíblia há inúmeros exemplos de pessoas que se colocaram humildes perante Deus, entregaram as suas vidas ao serviço no Reino e que foram abençoadas ou abençoaram a muitos outros e que, com certeza, receberam seu galardão de glória.

  Não falo de perfeição, nenhum de nós é perfeito, ao contrário, todos somos pecadores, porém Deus busca aos que reconhecem a sua finitude, a sua pequeneza perante Ele e essa qualidade podemos observar em Davi, por exemplo, um homem que mesmo sendo pecador e imperfeito, foi chamado de " homem segundo o coração de Deus" (Atos 13.22).

   Conta a Bíblia em 1 Samuel 17 que os filisteus se reuniram para lutar contra o povo de Israel, cada exército acampado de um lado do vale do Carvalho, e que um homem chamado Golias , filisteu, saiu para desafiar os israelitas. Esse homem tinha quase 3 metros de altura e pesava cerca de 300 kg, usava um capacete e uma armadura ambos de bronze, e só a armadura pesava 60 kg. Usava caneleiras de bronze, que protegiam as suas pernas e carregava um dardo, também de bronze, além de uma lança muito grossa e pesada, cuja ponta de ferro pesava cerca de 7 kg. Ele desafiou o exército israelita e quando o rei Saul e os soldados ouviram isso ficaram apavorados.

  Tiveram medo, não sabiam como enfrentar aquele gigante, como derrotá-lo. Muitas vezes enxergamos nossos problemas como se fossem gigantes, temos medo, fugimos deles. Porém, Davi nos ensina uma grande lição.

  Durante 40 dias , Golias desafiou os israelitas para a batalha, mas não houve nenhum homem com a coragem necessária para enfrentá-lo. Aí, surge Davi, um pastor de ovelhas, filho caçula de Jessé e que foi ao acampamento levar comida a seus irmãos mais velhos, alistados no exército de israel. Quando vê aquela situação se dispõe para lutar contra Golias, porém o rei Saul não o autorizou, por ser ele muito jovem - tinha cerca de 20 anos - e franzino. Quantas vezes também ouvimos das pessoas que não somos capazes de vencermos nossos gigantes, nossos problemas, nossas lutas? Quantas vezes ouvimos que não há solução, que não temos forças suficientes para resolver alguma situação difícil?

   Mas, Davi insistiu com o rei, alegando que ele era um pastor das ovelhas de seu pai, e que muitas vezes havia lutado contra ursos e leões protegendo as ovelhas, e que Deus sempre o tinha salvado desses animais e que, com certeza, Deus também o salvaria daquele gigante. Assim, Saul permitiu que Davi enfrentasse Golias, e entregou a ele sua própria espada, escudo, couraça e um capacete para proteção. Porém Davi sequer conseguiu andar com todas aquelas armas, pois não estava acostumado a elas. Muitas vezes também tentamos enfrentar nossas lutas com as armas inadequadas, com a arrogância, a vaidade, a autoconfiança, nos esquecemos de colocar nossas metas nas mãos de Deus.

   Pegou Davi, então, um bastão e algumas pedras lisas além da sua funda ( arma de mão, do tipo estilingue) e partiu para enfrentar o gigante. Correu em direção a ele,e , em nome de Deus, escolheu uma pedra, colocou na sua funda , atirou e derrubou Golias, que foi morto por Davi com a sua própria espada, o que fez os demais filisteus fugirem correndo.

   Se continuarmos a contar a história de Davi, veremos que ele foi um homem comum e que cometeu inúmeros erros em sua vida. Porém, ele procurava acertar e possuía uma enorme confiança em Deus.

   Creio que com Davi aprendemos que nossa força não está nas armas terrenas, mas sim no poder de Deus que se manifesta quando colocamos nossa fé e confiança nas Suas mãos, quando reconhecemos que é Ele quem nos guia e guarda, quando colocamos o controle da nossa vida em Suas mãos.

   Fica aí o desafio: entregue a sua vida a Jesus, confie nele, e o resto Ele fará.


Fernando Marin



terça-feira, 6 de agosto de 2013

Uma questão de humildade





Uma Questão de Humildade

Por: Fernando Marin


   Uma das palavras mais ouvidas quando da visita do papa Francisco ao Brasil foi "humildade". Muitos observaram nele uma figura humilde, que carrega suas próprias malas, faz questão de ele mesmo pagar a sua conta de hotel, viaja em veículos simples, creio que esse foi o traço marcante que visualizamos no papa Francisco, e que em muito colaborou para a sua popularidade ímpar.

    Creio que o maior de todos os ensinamentos que Jesus nos deixou depois da sua breve passagem por este mundo, foi a humildade. O próprio Deus se fez carne, habitou entre nós e entregou a sua vida, numa morte estúpida e dolorosa, por amor a pecadores e imperfeitos.

    Mas, afinal, o que é "humildade"? Se buscarmos em um dicionário, verificaremos que essa palavra pode ser definida como “capacidade de reconhecer os seus próprios erros, defeitos ou limitações”; sinônimo de ‘modéstia".  O bispo anglicano, teólogo e escritor Jeremy Taylor, diz que:

     “Humildade não consiste em erigir cercas contra você mesmo, usar roupas de mendigo ou portar-se de forma suave e submissa. Consiste, porém em ter de si próprio uma avaliação sincera de que você realmente é mau e medíocre”.

    Quando buscamos na Bíblia, encontramos uma série de textos que engrandecem a humildade como característica principal do cristão, textos que afirmam a necessidade de sermos dependentes de Deus e não de nossos dons e talentos.

   Porém, muitos cristãos insistem em manter um estilo de vida independente e autossuficiente, e um exemplo clássico disso encontramos no texto de Mateus 17. 14 – 21, quando os próprios discípulos não conseguiram expulsar um demônio que atormentava a vida de um jovem, e foram advertidos por Jesus de que havia a necessidade de jejum e oração, ou seja, de se achegar mais a Deus, para que o poder do Espírito Santo possa operar através de seu povo.

    Olhando à nossa volta, hoje, percebemos que muitos cristãos estão perdendo o foco como igreja, deslocando esse foco para outras ações que não as preconizadas por Cristo, preocupando-se com a construção de templos suntuosos, festas e eventos grandiosos, programas de televisão caríssimos, shows ditos "gospels" de grande porte e por aí vai. Poucos são os que, como Jesus ensinou, priorizam o amor a Deus e ao seu próximo, como o Mestre estabeleceu como os maiores de todos os mandamentos.

    No chamado Sermão do Monte (Mateus capítulos 5 a 7), Cristo colocou a "humildade de espírito” como a primeira das bem aventuranças, salientando a necessidade de nos colocarmos na dependência total de Deus, para que possamos ter uma vida abençoada.  Ele falava frequentemente de humildade, e mostrava em sua vida de serviço o que significa elevar os outros acima de nós mesmos. O maior exemplo da importância que  Jesus dava à humildade, está em João 13, quando, na chamada Última Ceia, Ele lava os pés dos seus discípulos, atividade que, na época, era desempenhada pelo mais simples dos servos.

     Podemos tirar algumas conclusões claras e importantes do ensinamento da Bíblia, mostrando porque a falta de humildade nos afasta de Deus:

  •     Sem humildade, não serviremos aos outros como deveríamos, porque aqueles que são arrogantes e egoístas não querem servir, mas serem servidos.


  •     Sem humildade, não seremos discípulos. Os orgulhosos querem ser chefes e cobiçam a posição e a influência de outros.


  •     Sem humildade não buscaremos realmente a verdade. O homem orgulhoso pensa que já conhece todas as respostas, e não quer depender de quem quer que seja, nem mesmo do próprio Deus.


  •    Sem humildade, não reconhecemos nossos próprios defeitos. Somos até capazes de enganar nossos próprios corações para não vermos nosso próprio pecado. Saul fez isto quando defendeu sua desobediência na batalha contra os amalequitas. Ele argumentou que tinha obedecido ao Senhor e quem tinha errado não teria sido ele, mas o seu povo (1 Samuel 15:20-21).


  •      Sem humildade, temos dificuldade em aceitar a correção. Provérbios 15:31-33 mostra a consequência de tal orgulho:


Aquele que aceita a repreensão justa andará na companhia dos sábios. Quem rejeita conselhos prejudica a si mesmo, mas quem aceita a correção fica mais sábio. Quem teme o SENHOR está aprendendo a ser sábio; quem é humilde é respeitado.”

  •    Sem humildade, também não perdoamos o erro dos outros. O orgulho é egoísta, e nos torna facilmente ofendidos e lentos a perdoar. Jesus ensinou claramente que a pessoa que não perdoa não será perdoada por Deus (Mateus 6:,14-15).


Porque, se vocês perdoarem as pessoas que ofenderem vocês, o Pai de vocês, que está no céu, também perdoará vocês. Mas, se não perdoarem essas pessoas, o Pai de vocês também não perdoará as ofensas de vocês

   A segunda frase é muito clara. Se não aprendermos a sermos humildes, não entraremos na presença de Deus.

     São muitas as lições que aprendemos da Bíblia no tocante à humildade. Se nos dizemos cristãos temos de agir como tais. Sabemos da necessidade humana de sobressair, em se mostrar sábio, abençoado, ungido, ou seja, de querermos de alguma maneira sermos bem vistos pelos demais. Porém, as palavras de Jesus Cristo nos colocam em nosso devido lugar:

Mateus 23.12 “Quem se engrandece será humilhado, mas quem se humilha será engrandecido.

   Ainda em relação a esse tema, palavras de João Calvino:

...”Daí, não é difícil deduzir por que meio Adão atraiu sobre si a ira de Deus. De fato, Agostinho fala acertadamente quando declara que o orgulho foi o princípio de todos os males. Pois, se a ambição não tivesse elevado o homem acima do que era próprio e certo, ele poderia ter permanecido em seu estado original” (João Calvino).

  Ser cristão é viver a cada dia em busca da santificação, "sem a qual ninguém verá a Deus "(Hebreus 12.14).

Fernando Marin