sexta-feira, 20 de fevereiro de 2015

Cotidiano III


Cotidiano III



Por: Fernando Marin



 Não poderia deixar de comentar uma triste notícia que foi bastante divulgada essa semana na mídia. Um crime bárbaro – mais um – acontecido nos arredores de Uberaba (MG) e que comoveu o país.

 Um homem, de 48 anos, se sentindo pressionado por uma moça de 22 a assumir a paternidade de um casal de gêmeos de 4 meses de idade, cria uma armadilha para a moça e as crianças. As convida para uma conversa em um shopping para discutir a questão. 

 Porém, não é isso que acontece. Ele coloca mãe e crianças no carro, embarca mais um homem no trajeto e, em um lugar deserto e fora da cidade, o homem que os acompanhava mata a tiros a moça e os dois bebês.

 Caso parecido com o que envolveu o ex goleiro do Flamengo, Bruno, e que ainda se encontra preso, bastante semelhante já que teria acontecido pela mesma motivação: o não reconhecimento de paternidade.

 De tempos para cá temos tomado conhecimento de uma série de crimes tão bárbaros quanto esses. Em muitos casos, o que vemos são moças jovens, bonitas, de família, algumas com boa formação que se envolvem com homens sem caráter, muitos deles bandidos, e que acabam mortas, agredidas ou submetidas a todo tipo de violência e de humilhação. Basta se assistir aos programas policiais para se comprovar esse fato.

 Não sei porque tantas moças de bem vem se envolvendo com homens do mal, por que se sujeitam a serem agredidas, humilhadas, mortas.

 Mas, que crimes como esses não sejam esquecidos, e que venham a alertar acerca dos perigos de nos envolvermos com pessoas das quais não conhecemos a vida e nem o passado – no caso de Uberaba o suposto pai dos gêmeos e mandante do crime já tinha passagens pela polícia por homicídio e tráfico de drogas, e o outro, o que teria atirado, era também bandido já condenado anteriormente.


 Que tudo isso sirva para a nossa indignação e reflexão. Muita reflexão.

Fernando Marin

domingo, 15 de fevereiro de 2015

Bíblia e Ecologia-tudo a ver !



Bíblia e Ecologia - tudo a ver!



Por: Fernando Marin


  Há anos temos sido advertidos pelos cientistas de que nossos maus hábitos vem prejudicando a natureza, e que as consequências  disso seriam ruins para a raça humana.

 O alto consumo de combustíveis fósseis , como o petróleo e o carvão, estão lançando resíduos na atmosfera, que causam um aumento progressivo na temperatura do planeta, o chamado ‘efeito estufa’, que vem modificando o clima e causando preocupação cada vez maior com a vida na Terra.

  Desde a Revolução Industrial, o homem vem retirando cada vez mais suas riquezas da natureza, e isso já em um ritmo acima da capacidade de reposição natural, sem sustentabilidade, com sérios riscos de exaustão de recursos fundamentais para a nossa sobrevivência.

  A camada de gelo existente nos polos vem diminuindo de tamanho a cada ano, causando um aumento no nível dos mares que pode , dentro de poucas décadas, avançar sobre as cidades litorâneas, forçando-nos a buscar moradia mais para o interior. Segundo previsões, havendo o derretimento da camada de 2000m de espessura do gelo que cobre a Groenlândia, a água gelada desse derretimento lançada no Oceano Atlântico deverá causar um esfriamento da Corrente do Golfo, levando toda a Europa a uma nova era glacial, impedindo praticamente a vida naquele continente.

  Aqui mesmo, no Brasil, temos passado por dificuldades por causa de uma estiagem prolongada, completamente atípica, com índices de chuva baixíssimos em algumas regiões, como nunca havia acontecido anteriormente, e que tem nos deixado preocupados, afinal, como sobreviver sem água?

  O texto bíblico nos adverte , que toda a criação de Deus, a natureza, “sofre e geme dores de parto até o presente” (Romanos 8.22), deixando claro que não temos cumprido bem com as nossas funções de guardiões , de cuidadores da criação divina.

  Não, não encontraremos o termo “ecologia” ( oikos – casa , logos –estudo ) na Bíblia, já que esse termo foi utilizado pela primeira vez em 1869 pelo cientista alemão Ernst Haeckel pare designar o estudo do lugar onde vivemos, porém nela encontramos muitas passagens que nos mostram a importância de preservarmos nosso planeta com vistas à nossa própria existência sobre ele.

 Quando lemos o relato da criação, em Gênesis  1..28 , vemos que está escrito  “...enchei a terra, sujeitai-a; dominai sobre os peixes do mar e sobre as aves do céus...”, quer dizer, Deus entregou ao homem a tarefa de cuidar  e de proteger a criação, deveríamos ser cuidadores e não predadores !  No versículo seguinte, Deus afirma que  "Eis que lhes dou todas as plantas que nascem em toda a terra e produzem sementes, e todas as árvores que dão frutos com sementes. Elas servirão de alimento para vocês (Gn 1:29)”. Assim, a natureza existe para o nosso sustento, mais um ótimo motivo para cuidarmos bem dela.

 Há diversas passagens onde Deus nos orienta acerca do cuidado com o meio-ambiente, uma delas  Deuteronômio 23,12-13 , que nos ensina até mesmo o cuidado básico com o saneamento (Como não há sanitários no acampamento, quando tiver necessidade, o homem sairá para fora do acampamento, para uma parte do terreno reservada para isso. Levará uma pá - que cada soldado terá como parte de suas armas. O homem abrirá um buraco no chão e, depois de satisfeita a necessidade, tapará com terra o buraco.), uma maneira de preservar a saúde e conter a poluição !

  O planeta é lugar para todos, não apenas para alguns. O homem vive aqui como um inquilino, um administrador, e deve agir como tal, cuidando e preservando do que pertence a todos, e, de acordo com o texto de Mateus 25,1-46 , teremos de prestar contas de tudo o que fizemos ou deixamos de fazer.

  Desde o princípio Deus nos dotou do livre arbítrio, nos deu autonomia e liberdade, mas, não nos livrou da responsabilidade sobre nossos atos. Ele disse ao primeiro homem que “Podes comer de todas as árvores do jardim, mas não comerás do fruto da árvore do conhecimento do Bem e do Mal, porque no dia em que dela comeres, conhecerás a morte” (Gn 2,17). Houve a desobediência, e sobreveio a morte, não a morte física, mas sim o pecado, a separação da vontade de Deus , e isso trás consequências a todos os demais.

  Quem pratica o mal ( opta pela desobediência) por meio da ganância, da avidez pelo lucro, quem depreda a natureza acaba por ferir a Criação, prejudicando ao seu próximo e privando as próximas gerações da sua condição de sobrevivência.

  Lembremo-nos sempre de que outros virão a esse planeta depois de nós, e que eles também tem o direito à vida!

 Reflitamos e mudemos de atitudes em relação ao meio-ambiente, antes que seja tarde demais.

Fernando Marin

Referências Bibliográficas:
Mazzarolo, Isidoro. A Bíblia e o meio ambiente, em http://www.fsma.edu.br/visoes/ed05/ed05_artigo_7.pdf , visualizado em 10 de fevereiro de 2015:
Oliveira, Eliézer de . O QUE A BÍBLIA DIZ SOBRE ECOLOGIA, PRESERVAÇÃO E USTENTABILIDADE. Em http://pastorelieser.blogspot.com.br/2011/02/o-que-biblia-diz-sobre-ecologia-e.html , visualizado em 10 de fevereiro de 2015.