terça-feira, 1 de setembro de 2015

Meio ambiente: alerta vermelho!


Meio ambiente: alerta vermelho!



Por: Fernando Marin



O sinal de alerta foi dado: uma crise hídrica sem precedentes está ameaçando a população de São Paulo e de outras cidades no Brasil. De dois anos para cá a quantidade de chuva diminuiu bastante, mostrando a fragilidade dos sistemas de captação e abastecimento de muitas cidades.

Em algumas regiões do nordeste, não chove há mais de dois anos,e a situação é crítica.

Mananciais importantes, como os rios São Francisco e Paraíba do Sul , estão com seus níveis abaixo do normal, deixando muitas populações na iminência da seca.

As previsões não são animadoras, os técnicos preveem um índice de chuvas abaixo do normal para esse ano.

O que está acontecendo com o nosso planeta?

Desde a Revolução Industrial , no século XVIII, o homem vem explorando de forma insustentável os recursos naturais. O consumo de carvão fóssil na Europa, já naquela época, jogou milhares de toneladas de resíduos na atmosfera, e daí para a frente nosso planeta vem sofrendo com a poluição ambiental e, mais recentemente, com o efeito estufa, um aquecimento causado pela grande quantidade de gases poluentes pairando no ar.

Com isso, a temperatura global vem aumentando, causando o derretimento do gelo nas calotas polares e o consequente crescimento do nível do mar, o que põe em risco a maioria das cidades costeiras no mundo, em um futuro muito próximo.

O aquecimento também causa uma maior evaporação das águas, principalmente as dos oceanos, tendo como consequência a formação de nuvens mais pesadas que irão gerar tempestades, furacões e tornados cada vez mais violentos.

O aquecimento global também tende a causar um aumento de temperatura no verão – o que já vem ocorrendo – e um esfriamento maior no inverno, principalmente no hemisfério norte, com nevascas duradouras e muito mais devastadoras a cada dia.

Cidades cada vez maiores e mal planejadas permitem que os esgotos sejam despejados diretamente nos rios e mares, por falta de planejamento urbano, de investimentos e de educação de seus habitantes.

Apavorante a estatística apresentada pelos estudiosos do assunto : hoje tiramos da natureza 30% a mais do que ele pode repor, ou seja, a necessidade da sustentabilidade foi deixada de lado há tempos, em nome da necessidade do lucro imediato.

Outro fator de degradação ambiental é o acúmulo de grandes quantidades de lixo, em lixões e aterros sanitários, que geram enormes quantidades de gás metano, o maior causador do aquecimento da atmosfera. Esse gás também está presente em grande quantidade no fundo dos oceanos, e vem sendo liberado pelo derretimento das geleiras e pelo aumento da temperatura do mar, ampliando ainda mais o aquecimento e a poluição.

O consumismo exagerado e sem critérios vem criando montanhas enormes de lixo, havendo a necessidade de se separar áreas cada vez maiores para que se criem aterros sanitários. Imaginem que no Brasil apenas 7% dos municípios realizam a coleta seletiva e a reciclagem de seus detritos, um número muito abaixo do que seria o ideal. Assim, 93% das cidades brasileiras jogam 100% de seu lixo nos aterros, o que causa o seu exaurimento em poucos anos e a permanente necessidade de se prepararem novas áreas para esse uso.

Quando recorremos à Bíblia, aprendemos que Deus , ao criar todas as coisas, nos preparou um planeta maravilhoso, dotado de uma natureza perfeita e de tudo o que necessitamos para uma existência saudável. A Terra tem a distância ideal do sol para nos prover uma vida confortável, nem fria nem quente demais, nossa atmosfera tem os gases necessários nas doses exatas para que a criação respire com normalidade, os oceanos tem o índice ideal de sal e demais minerais para suprir a sua abundante vida. E o homem foi criado por Deus para dominar e cuidar de todos os seres vivos e de tudo o que compõe a natureza, que lhe seria útil para a sua sobrevivência e a das demais gerações posteriores.

No entanto, a ganância do ser humano quebrou a harmonia da Criação, e hoje a ideia de que outras pessoas virão depois de nós foi esquecida.

Esquecemos de que somos pó, e ao pó voltaremos ( Genesis 2.7)

Não levaremos nada dessa vida, como disse Jó ( Jó 1.21) “Nu saí do ventre de minha mãe e nu voltarei a ele” . A Criação é obra de Deus , e a Ele pertence!

Estamos aqui de passagem, como inquilinos e administradores, e prestaremos contas a Ele por tudo o que fizemos e pelo que deixamos de fazer (Mateus 25. 31-46).

Sim, cuidar da terra é nossa missão, mas ela não nos pertence!

Lembremos disso e mudemos imediatamente de atitudes, ou a vida de nossos filhos e netos estará ameaçada


É mais que hora de mudanças !

Fernando Marin