segunda-feira, 23 de julho de 2012

Manhãs Azuis



Manhãs Azuis



Sempre ouvi que o outono tem como características os tons amarelados e marrons. Tempo de introspecção, período em que as árvores se preparam para enfrentar o inverno, é isso que aprendemos nas escolas. As pessoas tendem a ficar deprimidas. As folhas caindo nos faz pensar que as árvores estão enfraquecendo, envelhecendo,  mas isso não é verdade, elas só estão se preparando para um período de renovação, ela se desfaz de suas folhas para poupar energia durante o inverno, para na primavera nos surpreender com todo seu verdor. É difícil acontecer o novo se não nos desfazemos daquilo que nos enfraquece.

Nossa vida é muito parecida com as estações. Nem sempre estamos em sincronia cronologicamente falando, mas é certo que as vivenciamos todas, e várias vezes durante nossa vida. 

Às vezes, quero somente o calor do verão, mas esqueço que os dias quentes, são sempre acompanhados de muitas nuvens. Gosto muito do frio do inverno, e assim como as árvores, tempo de guardar energia, tempo propício para adormecer e enquanto durmo não quer dizer que nada acontece, pelo contrário, está tudo em ebulição. A primavera é a mais querida dos apaixonados, tempo de reprodução, tudo é mais colorido e atraente.

O outono fica meio esquecido nos extremos das outras estações. Mas hoje fiquei pensando sobre sua beleza e me descobri sua amante, quando pela manhã abri a janela do meu quarto e me surpreendi com o azul do céu. Ele estava inebriantemente azul, da minha janela não avistei nenhuma nuvem, apenas uma imensidão azul. 

E que azul!!! Senti vontade de mergulhar, e me lembrei dos dias de criança quando queria ser passarinho. E apesar do ar frio que entrava pela janela, senti meu coração aquecido. 

E percebi que o outono tem sim a melancolia das folhas caindo, mas também a clareza das manhãs azuis.

Cristina Moreira

Nenhum comentário:

Postar um comentário