sábado, 17 de dezembro de 2016

Uma reflexão sobre o Natal



Uma reflexão sobre o Natal


Por: Fernando Marin



 Mês de dezembro, aquela época do ano esperada por todos, afinal é Natal. Mais dinheiro no bolso, vamos todos às compras, são muitos presentes, vamos preparar uma Ceia maravilhosa,  a família estará reunida, fato raro nos dias de hoje.

 Mesmo em época de crise econômica é fundamental que se mantenham as tradições, compra-se menos, mas não se pode deixar de comprar.

 Correrias, confraternizações, amigos secretos, aquela rotina esperada e querida por todos, afinal é Natal.

 Natal. Você sabe que há cristãos que não celebram o Natal? Eu o celebro, e muito. Afinal, é a data escolhida para lembrarmos do nascimento daquele que Deus enviou a este mundo para morrer pelos nossos pecados. Aqui em casa montamos uma bela árvore, muito enfeitada e repleta de luzes coloridas, para demonstrar a nossa alegria pelo nascimento de Jesus.

 Infelizmente o espírito do Natal se perdeu aos poucos, e hoje a data possui um aspecto muito mais consumista do que no passado.

 Em um mundo dominado pela violência, pela fome, pela miséria, desemprego e outras mazelas parece que não sobrou espaço para o verdadeiro dono da data, Cristo.

 Natal significa celebrar o amor de Deus e mais que celebrar: praticar.

 Me entristeço com a questão dos milhares de refugiados das guerras covardes , com os enfermos desassistidos por uma saúde pública precária. Com os desempregados, que não sabem mais como dar o que comer aos seus em casa. Com as injustiças sociais , com a homofobia, o racismo, intolerância religiosa e todo tipo de discriminação que ainda existe por aí.

 Me revolto contra a corrupção em todos os níveis, que parece não ter fim.

 Natal é época para uma profunda reflexão: o que estou fazendo pela sociedade ? Será que posso me considerar um agente de transformações? Será que sou um bom exemplo para meus filhos?

 Estou sendo um bom exemplo de cristão?

 O mundo pode ser melhor, desde que cada um faça a sua parte.

 Feliz Natal!

Fernando Marin

Nenhum comentário:

Postar um comentário