sábado, 27 de outubro de 2012

Afinal de contas, o que é igreja?







                                                  
                                                                                                             Por: Fernando Marin


     Quando vi a imagem acima em uma rede social, muitas coisas me vieram à mente. O que é a igreja? O que devemos procurar lá? Como a maioria das pessoas vê a igreja hoje?

     Lembrei-me do livro de Atos dos Apóstolos, em seu capítulo 2, que narra os primórdios da vida dos primeiros cristãos, onde constatamos a sua característica notável da consciência do seu chamado e separação como povo de Deus. Os primeiros cristãos tinham em mente que a igreja era uma instituição divina, fundada e controlada por Jesus e viviam exatamente dentro dessa concepção.

     Os primeiros cristãos levavam suas vidas separados do resto do mundo , consideravam-se cidadãos do céu , e não da terra , governavam seus atos por princípios que vinham de Deus , criam que estavam aqui  apenas de passagem e que a sua verdadeira vida estava no futuro , ou seja, nada aqui tinha prioridade.

     Não se preocuparam com a construção de templos, pois costumavam se reunir em suas casas. Não julgaram importante a construção de edifícios custosos, cheios de salas que são usadas apenas umas poucas vezes por semana. Se reuniam para receber a doutrina dos apóstolos, desfrutar da comunhão, partir o pão e orar. A evangelização acontecia através do seu testemunho , e os recém convertidos eram acolhidos e recebiam alimento e incentivo.

     Os apóstolos não se preocuparam em formar qualquer tipo de organização para realizar a obra de Deus. A igreja local era o grupo de pessoas usado pelo Senhor para propagar a Palavra de fé e os discípulos se contentaram em trabalhar nesse contexto. Muito diferente de hoje, quando há a disseminação de inúmeras denominações, missões e organizações, onde pastores competentes acabam por se afastarem dos seus afazeres ministeriais primordiais para se tornarem administradores . Penso que, se todos os obreiros encarregados de administrar organizações pudessem servir no campo missionário, talvez não houvesse falta de pessoal para tal, sem falarmos na enorme soma de recursos gastos na estrutura administrativa dessas organizações, que seria muito melhor empregada no campo.

     A multiplicação de denominações e de instituições, leva a uma outra questão: a rivalidade, inveja, formação de facções, o que acaba criando um número maior de novas denominações, muitas com uma teologia própria de seus líderes, o que tem trazido confusão e desvio  da pura doutrina e da Palavra do Evangelho.

     A Igreja é o instrumento fundado por Jesus para a expansão do Reino de Deus sobre a terra, discipulando os que aceitarem a Salvação pela Graça oferecida por Cristo àqueles que crerem , nada mais que isso. É meio de transformação de vidas, de comunhão, de oração. Fazer parte da Igreja significa ter motivos para louvar e agradecer pela libertação do pecado e por ter-se agora a nova condição de Filhos de Deus. É sendo Igreja que expressamos nosso amor ao próximo, praticando atos de compaixão, perdão, solidariedade.

      “Busquem, pois, em primeiro lugar o Reino de Deus e a sua justiça, e todas essas coisas lhes serão acrescentadas.” Mateus 6.33 NVI

     Jesus promete uma série de bênçãos de todos os tipos àqueles que O buscarem em primeiro lugar, àqueles que praticarem as boas obras que provém da fé verdadeira, àqueles que realmente crerem que Ele é o Filho de Deus e Salvador. Portanto, para aqueles que forem Igreja .

Fernando Marin


4 comentários:

  1. é preciso redescobrir o significado da palavra Igreja, em tempos de apostolados, bispados e patriarcados o termo Igreja ficou de lado.

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Rodryguez

      Sim, tem toda a razão, parece que o termo igreja perdeu totalmente o seu significado.

      Na verdade, eu sonho com uma nova reforma, porém sabemos ser impossível de ocorrer, tendo em vista a atual pulverização da igreja em milhares de denominações, com as mais diferentes doutrinas.

      Mas, com certeza, o "Noivo" não está satisfeito com o que tem visto, e mudará a atual situação, quando achar que é hora.

      Abraço.

      Excluir
  2. Caro irmão, creio não ser necessário uma nova reforma, e sim as pessoas viverem verdadeiramente o evangelho. A insatisfação do "Noivo" se dá justamente por isso, e depende de cada um de nós como "igreja" fazer a nossa parte, pois a "igreja" como instituição tem sido omissa e conivente com ações que estão distante do verdadeiro evangelho.

    ResponderExcluir
  3. Haydee
    Quando falo em reforma é no sentido de se restaurar o verdadeiro sentido da Igreja, hoje tão pulverizada e desgastada em teologias pessoais e evangelhos convenientes a cada grupo.
    Sim, é mais do que importante que cada um de nós faça a sua parte, sendo igreja e vivendo o verdadeiro Evangelho que Cristo pregou.
    Obrigado!
    Fernando Marin

    ResponderExcluir